terça-feira, 20 de setembro de 2016

Crise do Brasil Novo assusta micro e pequeno empresário

Os press releases distribuídos pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em conjunto com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), tentam mostrar este Brasil Novo como a terra prometida de leite e mel, um verdadeiro paraíso. Antes do golpe, porém, eles exalavam um pessimismo mais forte que o nauseabundo odor do enxofre infernal.

O último release é de um cinismo exemplar. 

O lide [primeiro parágrafo do texto, com as informações supostamente mais importantes] diz que "a intenção de fazer investimentos por parte dos micro e pequenos empresários de varejo e serviços subiu pelo segundo mês consecutivo, passando de 24,20 pontos em julho para 28,08 pontos em agosto". Em seguida, uma explicação: "Apesar da alta mensal de 3,88 pontos, o resultado ainda está abaixo do pico da série histórica (32,06 em maio de 2015). Quanto mais próximo de 100, maior a propensão de investir; quanto mais próximo de zero, menor a propensão."

O texto segue com o presidente da CNDL, Honório Pinheiro, fazendo uma ginástica mental para dizer que tudo vai indo conforme o planejamento. Segundo ele, a retomada da economia poderá aumentar o apetite dos micros e pequenos empresários por investimento, mas o cenário ainda é de receio: “Por ora, o quadro é de arrefecimento da piora das condições econômicas. Alguns indicadores macroeconômicos já dão mostras de que a pior fase da crise pode ter ficado para trás, mas a plena recuperação das condições ainda será lenta e gradual.”

O próximo parágrafo, porém, é o que realmente esclarece a situação em que se encontra a economia do país e o ânimo dos nossos patrióticos empresários:

"Em termos percentuais, 69,9% dos micro e pequenos empresários de varejo e serviços não pretendem investir nos próximos três meses, sendo a principal razão a falta de confiança diante da crise (43,1%). Outros 38,1% dizem não ver necessidade de investir e 14,1% afirmam ter feito investimentos recentes. 'Além do impacto da crise econômica, o aumento do custo do capital torna os empresários mais cautelosos para expandir seus negócios com investimentos', explica o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro."

Espalhar esse tipo de informação falsa, mentirosa, uma peça de propaganda, é uma das mais importantes ações dos golpistas. 

Eles se acham na fase do vale tudo em sua guerra para consolidar a tomada do poder via golpe de Estado.

Foram longe demais, não podem mais recuar em sua loucura. (Carlos Motta)

Um comentário:

  1. Aqui no bairro que moro, desisti de contar, quantas lojas já fecharam suas portas nos ultimos 2 meses.É o espetaculo do crescimento econômico. Que a justiça divina alcance todos que contribuiram para essa calamidade, mas proteja as crianças e idosos das consequências dessa barbaridade.

    ResponderExcluir